Nossa, já são 8 da noite! Uau, já é quinta-feira! Puxa, já é setembro! Daqui a pouco é Natal!

Quantas vezes nos pegamos falando coisas deste tipo? Como nos surpreende o tempo que vem nos engolindo e que às vezes passa tão devagar?

Em janeiro do ano passado quatro amigos e eu começamos a planejar o Villa. Em outubro achamos o lugar que parecia perfeito para nós. Depois de meses de obras, quebradeiras e construções, em fevereiro, abrimos e mostramos ao mundo nosso “filhote”. Agora, meses depois, bate uma sensação de assombro pelo tempo ter passado tão rápido, mesmo que alguns dias parecessem não ter fim.

E pensando sobre o tempo lembrei do chronos e do kairós. O primeiro é aquele contado por números, horas, dias e anos. Já o segundo é “o tempo oportuno”, o que leva para maturar, o tempo da natureza.

Quando pensei em empreender, e o que queria fazer com o meu propósito, precisei aprender muitas coisas e entre elas, um aprendizado importante é de respeitar o kairós.

Enxergar o plano de negócio, cuidar se o retorno vem é importante, mas também olhar e acreditar no tempo de aprender qual é o meu negócio e refletir sobre porque estou fazendo o que faço é fundamental.

Meu negócio precisa, com o passar do tempo, ser sustentável, mas também preciso perceber que nem tudo se conta no relógio e acreditar nas nuances que existem, na experiência que adquiro e que faz com que o tempo acelere ou passe um pouco mais devagar.

Ter atenção ao tempo oportuno me traz um olhar para o todo, para o ecossistema. E então a colaboração, a interação e o propósito começam a reger de forma mais clara, e em um círculo virtuoso. Me conecto cada vez mais com possibilidades de realizar experiências importantes e o passar das horas, dos dias e dos meses não mais me surpreendem, mas sim, me satisfazem por ter tido tempo para ver o que o tempo traz.

Ana Lucia ZachariasTexto por Ana Zacharias
Com formação em coaching executivo pelo Integrated Coaching Institute (ICI) em São Paulo e em coaching ontológico pela Newfield Network em Santiago do Chile ambos credenciados na ICF é Facilitadora da Rede Ubuntu nos processos de reflexão de propósito e co-fundadora do Villa Coworking.