Na noite da última terça-feira, dia 19 de julho, aconteceu o evento Reviravoltas: Trabalho e caminhos de propósito na maturidadeNuma conversa descontraída e com momentos de grandes reflexões os três entrevistados trouxeram sua perspectiva acerca de temas como aposentadoria, futuro, saúde, propósito, experiências, expectativas, família, passado, sonhos, ‘ser velho’ e trabalho.

Decidir por ser feliz

Luz María Romero nos contou que, ao sentir-se cansada de sua vida corporativa queria mudar, mas precisava do apoio familiar, pois não acreditava que essa fosse uma decisão somente sua. Seus filhos responderam que ela precisava seguir o que sempre os ensinou: “realizar um trabalho que tivesse propósito, que a fizesse feliz e não somente deixar-se guiar pelo lado financeiro”. Então a incerteza deu lugar ao aprendizado de que ela precisava para viver sua vida com mais leveza. Para Luz o universo conspira a nosso favor quando estamos no caminho de nosso propósito. Ela se sente feliz e realizada com todos os trabalhos e novos projetos em que está inserida.

A noite avançou também com muita descontração e risos quando Fernando Lorenz contou que, aos 22 anos, foi chamado de velho. Descobriu assim que depois dessa idade qualquer um pode ser velho para alguém… Então concluiu que idade são números e que ser jovem ou velho é uma questão de atitude! Ele hoje trabalha com jovens de todas as idades, e, com seu conhecimento em inovação e diversos aprendizados de sua vida como executivo, afirma: “Manter-se em movimento e aprendendo é meu lema de vida”.

Milton Karam trouxe a poesia de sua alma de artista e demonstrou a paixão em ser servidor público, um trabalho que lhe permite se conectar com pessoas de diversos lugares, aprender muito e ajudá-las a desenvolver seus próprios projetos. Deixou como reflexão, ao falar de passado, um pedaço da música de Paulinho da viola “Eu não vivo do passado, mas o passado mora em mim”. Milton disse que aprendeu muito com a história, porém não se apega ao que passou e se mantém cheio de energia para os próximos anos e projetos.

Gratidão pela adversidade

Numa interação harmoniosa os entrevistados, e também o moderador da conversa, José Sarria, responderam à perguntas e deixaram importantes reflexões sobre como acreditam ser uma vida com plenitude. Para eles é muito claro que é preciso ser feliz com o trabalho que se realiza e que não dá para negociar com a infelicidade, porque corre-se o risco de acostumar-se. Essencial é ser autêntico e procurar sua identidade, seu lugar único no mundo. Disseram também que a época em que vivemos pede que pratiquemos a colaboração, a interdependência, a abertura com os jovens… Todos foram unânimes ao falar sobre gratidão pelas adversidades que a vida propôs, pois delas vem grandes aprendizados.

Nós da Rede Ubuntu, inspirados pelas inquietações da maturidade, criamos, em 2015, o EUpreendedoria, um programa voltado para pessoas que estão perto ou tem mais de 50 anos. Esta é uma fase de transformação na vida e durante os encontros o participante é convidado à reflexão, experimentando novas formas de perceber sua história, identificar seus talentos e valores, o que lhe permite ampliar seu olhar preparando-se para uma nova etapa de vida. A nova turma do EUpreendedoria começa em 17 de agosto. 

Mais informações sobre o programa clique aqui ou envie um e-mail aos facilitadores do programa José Sarria (jose@redeubuntu.com) ou Ana Zacharias (ana@redeutuntu.com).

Texto por: Ana Zacharias